Dica de documentário: Minimalism

O que é uma pessoa bem sucedida para você? Provavelmente você respondeu: alguém com um bom emprego, recebendo um bom salário e dono uma casa grande, um carro do ano (de preferência importado) e um padrão de vida classe A. Se essa foi sua resposta, está na hora de assistir o documentário Minimalism – A documentary about…

4 passos para fazer as roupas durarem

Sim, é super possível fazer suas roupas durarem. Pode não ser a missão mais fácil do mundo, mas é necessária. Isso envolve atenção desde a hora da compra, passando pela lavagem/conservação, até quando algo dá errado e a peça estraga. São passos simples, que muitas vezes não nos atentamos, mas somos capazes de fazer acontecer….

Conheça e desenvolva seu estilo

Sim, seu estilo é sua identidade. Sabe aquele papo de que com a roupa passamos uma mensagem para o mundo? É a mais pura verdade. Através do que vestimos demonstramos quem somos, o que gostamos, a qual “tribo” pertencemos. E isso muda com o tempo, não se preocupe. Começamos a desenvolver o estilo pessoal na…

Compre, mas com sabedoria

Engana-se quem pensa que, ao nos tornarmos mais conscientes, precisamos obrigatoriamente deixar de comprar roupas. Tanto que o próprio conceito de armário cápsula tem um caixa para compras na troca de temporada. O que acontece é que, ao tomarmos consciência do que compramos, observamos tudo com outros olhos. Por exemplo, você não vai se jogar…

Desapegando e se livrando das “coisas”

Quando criamos consciência sobre o que temos no armário e aprendemos que podemos viver com aquilo o primeiro passo (e até mesmo desejo), é desapegar. Eu acho esse um dos momentos mais essenciais, mas ao mesmo tempo arriscados. Com a ideia de “menos é mais” na cabeça, temos vontade de atirar muitas peças pela janela,…

Você tem o suficiente – o conceito de armário cápsula

De nada adianta falarmos sobre sustentabilidade na moda se não pararmos para olhar com atenção o que já temos. Uma coisa é fato: temos muito mais do que precisamos! Faça um passeio mental pelo seu armário e pense em quantas das peças que estão lá você não usa há tempos, ou até mesmo se comprou…

Começando a mudar – o que eu coloquei em prática?

Essa vida frenética, o consumo exacerbado, o estresse muitas vezes sem motivo, o ódio e a violência gratuita. Automaticamente entramos em uma rotina desgastante fisicamente e também (ou principalmente) psicologicamente. E foi assim que me vi no decorrer do tempo que passei a prestar mais atenção em mim. Cheguei àquele ponto em que me questionei: não…

Demain, um documentário para um novo mundo

Já pensou que os filhos da geração que hoje beira os 30 anos pode viver num mundo onde comida, água e petróleo são escassos? E que dependemos de uma agricultura que prejudica o solo, com pesticidas e venenos; utilizamos água demasiadamente; e o petróleo, além de valer ouro, uma hora vai acabar – e ele…

O que estamos fazendo com o nosso tempo?

Com certeza você conhece alguém que nunca tem tempo pra nada, está sempre atrasado, com prazos estourados, sem um segundo pra sentar e conversar. Isso se essa pessoa não for você mesmo. Quando foi que 24 horas passaram a correr tão rápido? Por que esse elemento tão valorizado, mas tão intangível, simplesmente passa sem percebermos? O…

O que eu aprendi sobre a yoga (e sobre eu mesmo) praticando

A história inicia da seguinte maneira: há mais ou menos um ano, uma amigona minha, a Carol Leipnitz, começou a dar aulas de yoga. Desde então ela me convidava para fazer pelo menos uma aula experimental e ver como me sairia. Pra reiterar, outra amiga dizia há meses que estava praticando e amando a técnica…

Home office: vantagens e desvantagens

Como tudo na vida, trabalhar em home office tem seus pontos positivos e negativos e o julgamento depende da sua adaptação. Trabalho em casa há um ano e meio e, mesmo sabendo que não posso simplesmente parar tudo que estou fazendo pra assistir um episódio da minha série favorita, demorei um pouco a me adaptar. Da experiência,…

O que a família Smith tem a nos ensinar sobre representatividade

Quem viveu os anos 90 e começo dos anos 2000 lembra do seriado “Um maluco no pedaço” sendo exibido ad nauseam no SBT (sim, jovens, na época tv a cabo custava uma fortuna e Netflix era uma locadora restrita aos EUA, que mandava filmes para a casa dos clientes, e as redes de TV abertas eram…