Quem mandou bem no VMA 2015

30ago2015---a-cantora-nicki-minaj-dividiou-o-palco-do-vma-2015-com-a-cantora-taylor-swift-1440984686901_956x500Ontem a MTV dos Estados Unidos exibiu mais uma edição do seu já consagrado VMA. A premiação reconhece os principais artistas da indústria pop, que bombaram nas telinhas da emissora. Taylor Swift foi a grande premiada da noite e Kanie West foi homenageado com o troféu Michael Jackson. Ainda rolou Nicki Minaj alfinetando Miley Cyrus, que apresentou o show.

Mas, falando em red carpet, vale lembrar que essa é uma premiação mais descontraída. Portanto, o tapete vermelho não é tão glamouroso como outros. Digamos até mesmo que é mais descontraído e permite que os artistas usem looks mais informais. Vamos aos melhores.

Kourtney KardashianAcho que a Kourtney Kardashian foi a única da família que realmente acertou. De macacão vermelho, com belo decote, mostrou que agora está solteira e ninguém vai lhe segurar a genética da família é boa e mesmo depois de uma maratona de filhos, continua com o corpo de antes.

O macacão é uma peça tendência e causa um impacto interessante no look. Para complementar, Kourt apostou em acessórios metalizados (tanto a bolsa, pulseira e sapatos). O decotão foi outro efeito interessante do outfit.

Nick JonasE representando a ala masculina, temos Nick Jonas, que apostou em uma combinação de calça e jaqueta de couro, com uma camiseta mais básica. Se é exagerado? Com certeza. Mas é um look de red carpet, então, tem a possibilidade de ousar um pouco a mais.

Nicki MinajE falando em Nick, vem ela, a Nicki Minaj, que decidiu levar um pouco da tendência dos vestidos transparentes pro VMA. Mas pegou mais leve e só usou transparências localizadas. O detalhe ficou por conta dos vários bordados em dourado que eu, particularmente, achei muito bem feitos. Delinearam as curvas dela, valorizando as partes do corpo que ela mais gosta de valorizar.

PharrellJuro que eu acho o máximo casal que combina. E o Pharrell Williams e Helen Lasichanh gostam muito de ir a red carpets combinandinho. E dessa vez eles investiram num jeans com jeans e botas, mais trend impossível. Ela foi de jumpsuit, que deixa um efeito retrô, mas moderninho no visual. Arrasou.

Kelly OsbourneAlguém falou em macacão? Pois essa foi a aposta também da Kelly Osbourne, que usou a peça numa risca de giz, com abotoamentos duplos na parte de cima. Reparem que a peça está toda mais larga. É que nesses casos, fica horrível se fica marcando.

Justin BieberJaqueta de couro vai voltar com tudo para os homens? No que depender desse red carpet, sim. Justin Bieber também apostou nela, mas em preto. Pra complementar, uma bota Chelsea, um jeans destroyed e uma camisa com estampa de petit poá. Achei um look casual muito bacana e que vale guardar na pasta de referências.

Taylor SwiftE com certeza o prêmio de mais bem vestida vai para Taylor Swift (que acerta 95% do tempo). Ela apostou num visual esportivo, mas com toque glam. Tanto o top quanto a calça cropped ganharam estampa Pied-et-Poule bordada em paetês.Acessórios hiper discretos e um sapato que segue a inspiração sport, finalizaram o visual.

O mais legal de um tapete vermelho tão variado é que ele pode servir de inspiração tanto para looks de festa quanto para o dia a dia.

Douglas na Cozinha: mousse de doce de leite

Mousse de doce de leiteAi, como eu amo mousses. Pode ser de todos os sabores, do chocolate, passando pelo maracujá e chegando no de doce de leite, que é a receita de hoje. Doce na medida, pode ser quebrada com um pouco de chocolate em pó. A textura também é deliciosa e desmancha na boca. Vale lembrar: mousse boa não leva gelatina. Ela só serve para estragar.

Mas, vamos ao que interessa, a receita.

Ingredientes

  • 400g de doce de leite
  • 300g de creme de leite sem soro
  • 4 claras
  • 2 colheres de sopa de açúcar

Preparo

Sem muita complicação. Bata as claras a ponto de neve e após acrescente o açúcar até virar um merengue. Misture o creme de leite e o doce de leite.

Junte lentamente as claras à mistura em três etapas, para não perder o efeito aerado. Leve para a geladeira por pelo menos seis horas. Quer deixar ainda mais delicioso? Coloque pedaços de brownie por cima. É de babar,

Calça chino, elegante e descontraída

b1f121e8698c3723accc6138a12381efElas são um must have no guarda-roupas masculino. Versáteis, podem ser usadas tanto em outfits descontraídos quanto em ocasiões mais formais, que pedem um dress code esporte fino.

Quer um look mais informal? É bacana usar com camisetas estampadas, camisas xadrez e peças que demonstrem criatividade. A calça chino é feita em diversas cores, das mais básicas, como preto e caramelo, às mais ousadas, como vinho e verde. As coloridas são perfeitas para criar os outfits de passeio. Nos pés, fica bacana com tênis (tanto o passeio quanto o esportivo), ou mocassins.

c0da6bb951d68408d2d1d688f9eb8c8fPara composições formais, o bacana é apostar em peças neutras. Uma camisa clássica, com poucos detalhes, como azul, preto ou branco. Vale apostar na calça em cores clássicas, como preto, caramelo e azul marinhos. Nos pés, o mocassim pode ser mantido, mas o outfit fica bacana mesmo é com um sapato social de cadarço, que dá um toque especial.

f4827b51f0e4b2d802180fc22c63b0d9A calça chino tem esse nome porque a história mais comum do seu surgimento é que ela foi usada pelos solados americanos na Guerra dos Boxers, na China, em 1900. Por serem um meio termo entre o estilo social e o jeans, não demorou a se popularizar na América, sendo usada pelos homens em ocasiões informais.

E pode comprar porque, além de estar em alta, dificilmente um dia você deixará de usar esse estilo.

Básicos são eternos e super cool

3e17d8af332cf5bf471550d83951c4c9

Há quem diga que a roupa básica é a mais estilosa de todas. E os franceses adotaram esse estilo como marca registrada do guarda-roupas dos fashionistas. Desde que o normcore se popularizou, a roupa sem excessos ganhou muito espaço nas araras e muitos adeptos. Durante a crise nos Estados Unidos, em 2008, tons neutros e poucas estampas viraram tendência.

Com o Brasil assumidamente em crise, nada mais natural que os básicos comecem a ganhar espaço. Afinal, tendências vão e vem, mas eles permanecem sempre. Mas não só em tempos complicados que eles são bacanas. Misturar uma roupa super simples com outra com pegada mais over, fica um mix super bacana.

43653d7d59c2aa2fca6be81460c4c1d8Com essa alta dos básicos, vemos surgirem várias marcas novas com essa proposta. Mas é preciso prestar atenção em algumas questões antes de sair por ai comprando t-shirts lisas cheias de estilo. Em primeiro lugar: o tecido é bom? Porque se ele não for, é a mesma coisa que ir numa loja de fast fashion e comprar uma peça tendência e sem qualidade. A modelagem é bem feita? Porque o básico tem que vestir perfeitamente. Nada de ficar muito justo, ou largo demais. E por fim, a costura é bem feita? Pelo mesmo motivo do material, porque um acabamento bem feito garante a durabilidade.

Para quem tem dúvidas na hora da escolha, selecionei dois modelos femininos e dois masculinos da marca Basic 4 Me, aqui da minha região, que achei bons investimentos.

Decote V para elas

Gola v Basic 4 meAlonga a silhueta, ajudando a dar aquela emagrecidinha. Fica bacana com colares mais compridos e se usada mais larguinha fica moderna se combinada com jeans ou shorts.

Gola V masculina

Gola V masculina Basic 4 mePara os homens esse decote é muito mais discreto. Há uns anos foi moda e aparecia até mesmo na metade do peito. Mas todo mundo enjoou e agora ele aparece mais contido. A mesma dica das mulheres vale para eles: o decote V ajuda a alongar a silhueta, ideal para os homens plus size.

Gola U para as meninas

Gola u Basic 4 meEsse decote é perfeito para ser usado com colares, afinal, deixa boa parte do colo à mostra. É bacana porque chama atenção, mas ainda assim é discreto, podendo ser usado até mesmo no ambiente profissional.

Formato O masculino

Gola o masculina Basic 4 meO mais clássico de todos. Preciso falar? Pode ser usado até mesmo no dia a dia, em ambientes profissionais. Com certeza é uma peça para ter e usar por muito tempo.

5 perguntas (definitivas) sobre as disco pants

e00d5498a56a6e79e4361537f3b2598fAs disco pants surgiram nos anos 50. São leggings com corte de jeans super justo e cintura bem alta, feitas com tecido brilhoso. Ficaram famosas no fim dos anos 70 com o filme Grease, e pegaram mesmo nos anos 80, principalmente na cena noturna. Em 2012 a American Apparel foi uma das responsáveis por resgatar ela e transformar em hit. Elas bombaram no verão do Hemisfério Norte e prometem o mesmo efeito por aqui.

Mas, como toda tendência, junto ela surgem as dúvidas. E vou responder cinco perguntinhas que talvez você se faça na hora de adquirir a sua.

9ca9d9e32b083079a2b7d4324be07a9bInverno ou verão?

Ambos. Assim como toda calça, muitas podem achá-las quentes demais para o verão. Mas nada impede de serem usadas nas duas estações. No inverno fica bacana usar com casacos alongados ou até com moletons. No verão, um camisetão fica super bacana, assim como os cropped tops também dão um efeito legal.

Com ou sem salto?

Depende da proposta do look. Se a ideia for partir para algo mais glam, um salto (desde as sandálias até os scarpins) confere um efeito elegante. Já se for uma combinação casual, uma flatform deixa o visual descontraído. Se quiser um visual bem anos 80, combine com um tênis jogging, nada mais característico.

Dia ou noite?

O modelo é super democrático. Pode ser usado num look de dia, com peças mais largas, deixando o look descontraído. Já para a noite, a sugestão já dada de um cropped top fica muito cool. Se você for boa em composição, vale até mesmo criar uma mistura de brilhos. Ah, e o sapato pode ser de salto ou baixo em ambas ocasiões, tudo depende do seu estilo.

f8fb3bf9c4d7918cb720d99c221d4c27Trabalho – sim ou não?

Depende do seu ambiente de trabalho. Claro que um espaço mais formal, como um escritório de advocacia, não permite esse tipo de roupa. Porém, hoje existem dress codes mais flexíveis, como agências de publicidade, ou co workings, no caso dos freelancer, que permitem a “ousadia”. No caso de quem trabalha com moda, já acredito ser mais liberado, se tornando até mesmo um “abre alas” para as pessoas se inspirarem e começarem a usar.

Cool ou sexy?

Essa é uma das perguntas mais interessantes, porque depende muito da composição do look e do corpo da mulher. Quem tem pernão automaticamente vai ficar mais sensual. Não, isso não é um problema. Use o fato a seu favor e crie um “sexy sem ser vulgar”. Para as mais magras que querem atingir o mesmo efeito a dica é usar com a parte de cima justa, deixando um pouco de pele, principalmente da barriga, à mostra.

Para deixar o visual cool, use com tênis, coturnos, sapatos com inspiração masculina. Na parte de cima aposte em camisetas com estampas divertidas, camisas amplas, como se tivesse roubado do guarda-roupas masculino, moletons e casacos largos.

The True Cost, a verdade sobre a roupa barata

The true cost 1Há muito eu ouço falar em sustentabilidade na moda e vejo pouco ser feito. O avanço do fast fashion transformou o cenário e transformou algumas produções que até pouco tempo eram comuns em algo defasado. Por exemplo, o feito sob medida durante muito foi visto como algo superado pela velocidade das tendências. Mas o tempo mostrou que não e agora ele volta com o merecido peso de ouro que tem.

É legal ir numa loja como a H&M e comprar um monte de roupa bacana por um preço baixo? Com certeza. Eu mesmo era fã. Só que um dia, por acaso, encontrei o documentário The True Cost no Netflix e mudei minha opinião. Sabe aquela verdade que todos sabem, mas não querem ver? Ele esfrega isso na nossa cara e mostra trabalhadores de lugares como Daca e Camboja que trabalham em condições deploráveis, em salas trancadas e com grades até nas janelas, ganhando no máximo 3 Dólares por dia.

A indústria é movimentada por grandes marcas, desde as fast fashions, que querem o produto rápido, para circular com a velocidade que os tempos modernos pedem, até marcas reconhecidas, como a Nike. Os proprietários das fábricas entram no jogo de “se você não fizer por um valor mais baixo, outro faz”, e quem sai perdendo (inclusive vidas), são os trabalhadores. O sistema não paga nem um salário mínimo aos funcionários e quem questiona chega a sofrer agressões.

The true cost 2

The True Cost | 92 minutos | Disponível no Netflix

Por ano são vendidas 80 bilhões de peças de roupa no mundo. Estima-se que um americano comum gere 38kg de lixo com roupas. A indústria sustentável abrange toda uma cadeia, desde a plantação do algodão, passando pelas tecelagens, até a confecção e venda. Mais do que a questão do custo, há o lixo gerado pela falta de conscientização de que a durabilidade é complementar ao visual.

Nomes importantes da moda sustentável são apresentados no documentário, como a renomada estilista Stella McCartney, que foi pioneira ao popularizar o assunto em suas coleções, e a diretora criativa da marca Eco-Age, Livia Firth, que afronta ferrenhamente o sistea de fast fashion. Mostrando que nem tudo está perdido, é apresentado o projeto People Tree, que comercializa na Inglaterra e outros países roupas sustentáveis produzidas no Oriente, com mão de obra justa e valorizada.

Com certeza, assim como eu, depois de assistir este documentário sua visão sobre a moda será outra. E optar pela qualidade perante a quantidade vai ser rotina.

Sonzinho: a cheerleader de Omi

Cheerleader omiSabe aquela música chiclete, que você ouve e passa o resto do dia cantarolando? É isso que aconteceu quando ouvi um trecho de “Cheerleader”, do cantor Omi. Até então nunca tinha ouvido e, joguei um trecho da letra no Google para descobrir. Quando ouvi ela completa, dai sim, fiquei o dia todo repetindo “I think that I found, myself a cheerleader…” Não demorou para eu descobrir que esse foi o som do verão europeu e, pouco depois, virou um hit brasileiro.

Então, vamos terminar a terça-feira ao som do jamaicano Omi cantando “Cheerleader”.