Elle Brasil e a diversidade

Se você é do tipo que espera uma capa de revista de moda sempre com uma modelo magérrima, pode parar de ler por aqui. A Elle Brasil teve uma, ou melhor, duas das ideias mais bacanas dos últimos tempos. Ontem começou a pipocar nas redes sociais a capa da edição comemorativa de aniversário da publicação, que é reflexiva e o leito pode se ver “on the cover of a magazine”, como se fosse uma super estrela.

Não bastasse isso, hoje foi divulgado o maior sinal de que a Elle acompanha as tendências mundiais de pluralidade e respeito ao indivíduo possível:

300415-elle-plus-size-01Sim, uma mulher plus size na capa (da edição virtual) da revista. A escolhida foi a jornalista e blogueira Juliana Romão, que veste casaco Prada, sapato Miu Miu e zero retoques de Photoshop, mostrando com orgulho um corpo real, semelhante ao de muitas das leitoras. Uma das chamadas já mostra o que vem por ai na revista: “Love-se – Assuma seu rosto, seu corpo e sua idade com orgulho”, já a seguinte diz:”Liberte-se – Menos tendência, mais estilo e atitude na moda”.

300415-elle-plus-size-02

Não só as revistas de moda, mas toda a sociedade brasileira é muito apegada à estética. O corpo é prioridade para muitos, que esquecem que o que temos por dentro, ou o que somos de verdade, também importa. E quer coisa mais bacana do que uma das principais revistas de moda nacionais entrarem na onda e darem tamanha importância ao tema?

Esta não é a primeira vez que uma revista de moda brasileira mostra uma mulher plus size na capa. A K Magazine, que era capitaneada pela super Erika Palomino, já fez isto há alguns anos, numa ousadia maior ainda, sendo que na época o assunto não era tão debatido.

Um viva à diversidade, um chocolate para nossas gordurinhas e um parabéns para Elle, tanto pelo aniversário, quanto pela atitude.

Outfit: preto + amarelo

E voltamos aos outfits. Confesso que estava meio relaxado com isso. Como não tenho um fotógrafo que faça as fotos pra mim, acaba sendo a maior mão a função de programar a máquina, fazer foco, enquadramento e ainda ser o modelo. Hahaha… Mas vou tentar retomar. Hoje é um visual bem outonal. A camiseta de manga longa é ideal para essa época, pois evita que a gente passe frio, mas não aquece tanto quanto um moletom ou um casaco.

IMG_2009Gosto da combinação de preto com amarelo, principalmente nesse tom mostarda. Aliás, essa calça é velha conhecida de quem acompanha meus outfits. Uma época usava ela direto, mas como estou mais básico, ela ficou um bom tempo parada, até que decidi retomar hoje.

Falando em básico, esse look é um exemplo, mas é um basicão com efeito. Tudo muito confortável, muito bom de se usar, mas com peças com informação de moda. Basta ver a cor da calça, o design da camiseta com o bolso e os braços justos, além dela ter um tecido muito gostoso e com efeito meio desbotado, e algumas costuras estratégicas.

IMG_2044Quem acompanha meu Instagram (@dpetry2), já viu muuuuito esses óculos. Comprei na H&M de Paris ano passado e ele é um coringão, porque quando não quero me produzir muito, tasco ele na cara e saio.

IMG_2079Sempre falo que acessórios são essenciais. Não tinha o costume de usar aneis e, aos poucos, estou adquirindo o hábito. No inverno é uma ótima opção, pois as pulseiras ficam escondidas debaixo das mangas. Esse do outfit de hoje comprei numa fast fashion masculina chamada Celio, em Paris. Embora pareça um só, são três. Adorei a proposta, pois são várias possibilidades de uso.

IMG_2119É a estreia desse tênis por aqui. É um modelo que comprei pra usar no verão, mas como fiquei muito tempo de férias, depois viajei, comprei alguns modelos por lá que viraram vícios, só voltei a usar ele agora. Reparem no efeito que a “pele” de vaca dá na peça, além da composição de cores, que ficou incrível.

Tinha um certo receio de usar este modelo, que se chama yatch, mas me acostumei. Só não consigo usar com meias. Até tentei, mas desistia na hora de sair. Há quem consiga.

Créditos do look:

Camiseta: Redley | Calça: John John | Tênis: Redley

Três maneiras de usar os tênis (no dia a dia) neste inverno

Esqueça aquela ideia de que tênis só pode ser usado na academia. O calçado que durante muito tempo foi proibida pelos “ditadores” da moda em looks do dia a dia, ganha status fashion. Porém, percebo que muitos homens ainda têm dúvida de como combinar com looks que vão do trabalho ao lazer, de acordo com o estilo pessoal. E, sim, vale desde o modelo esportivo, até o casual, como o All Star.

Vamos lá?

Tênis look esportivoA maneira mais fácil e que dá menos jeito de errar, é usando o tênis em um look com pegada esportiva, mas sem deixar de lado o apelo fashion. É bacana combinar com a calça jogging, que está super em alta, e arrematar com moletom ou uma jaqueta. Quer deixar o look com ares de moda? Misture com uma peça de alfaiataria. Na foto tem a camisa embaixo do pool. Outra opção seria usar um blazer com camiseta. Esta mistura de estilos pode soar arriscada para muitos, mas é uma maneira de modernizar o visual. Entre os famosos que já aderiram este estilo estão Kanye West, Jay-Z e vários outros rappers.

Tênis look casualNível intermediário, usando com um look casual. Deixar a meia (colorida ou estampada) aparecendo está super em alta. O jeans curto ou com a barra dobrada evidencia bastante os tênis. Por isso, é importante escolher um modelo bacana, como o Converse ou o estilo yatch (aquele que não tem cadarços). Uma camiseta e um cardigan na parte de cima completam o look, mas nada impede de substituir por um blusão, uma jaqueta de couro, uma parka, ou até um trench coat, se a ideia for misturar estilos. Dá pra tirar várias referências dos looks do David Beckham.

Tênis look socialNível hard, que exige atenção e um super entendimento com o espelho. Vestir tênis com alfaiataria não é tão complicado como pode parecer, mas também não é fácil. Primeiro, atente para o terno. A modelagem deve ser moderna, ou seja, slim. Nada de usar com a calça larga, que vai esconder o calçado. Dá a impressão de desleixo. Precisa ser sequinha, se as pernas forem finas skinny e, de preferência, curtas. É mais indicado usar sem meias, mas, se optar por elas, não pegue um modelo social tradicional, opte por algo mais divertido. Quer se inspirar? Mariano di Vaio é um bom exemplo.

Dois tópicos sobre a questão de gêneros

Bruce Jenner InterviewBruce Jenner se tornou famoso nos anos 70 no atletismo americano. Ganhou medalhas em Olimpíadas, se tornou um ídolo e sex symbol. Voltou aos holofotes por seu casamento com Chris Jenner, a mãe do clã Kardashian, e figurou em muitas temporadas do reality da família, o Keeping Up With The Kardashians. Até que se separou da mulher e se isolou um pouco do mundo e, principalmente, da mídia. Começaram a surgir os boatos, principalmente acerca de sua sexualidade. Uma revista fez até mesmo uma montagem de Jenner como mulher, afirmando que ele havia sido flagrado de tal maneira. Mas nada nunca foi confirmado pelo ex-atleta.

Até que semana passada foi realmente fotografado vestindo roupas de mulher. Quando as fotos foram divulgadas, decidiu falar e escolheu a ABC News para dar uma entrevista. Logo repercutiu mundialmente, virou assunto nas redes sociais e na mídia de famosos. Abaixo, um trecho da entrevista, em inglês e sem legendas, para quem quiser conferir:

O maior destaque foi para a afirmação de que ele se considera mulher, e não homossexual. Diz nunca ter ficado com homens, pois sempre respeitou suas parceiras.É importante destacar isto como algo natural, afinal, a homossexualidade (pelo amor de Deus, nunca usem homossexualismo, que era usado na época em que o assunto era tratado como doença), é diferente do transsexualismo. O transsexual sofre com a identidade de gênero, é como se a pessoa estivesse presa dentro do corpo do sexo oposto.

A descoberta de estar no corpo errado ocorreu logo na infância. Não entendia como não se encaixava no estereótipo masculino. Cresceu e as dúvidas continuaram. cada vez se via mais como mulher do que como homem. “Meu lado feminino é parte de mim.” Nos anos 80 começou a fazer cirurgias estéticas para mudar a aparência e ficar cada vez mais feminino. Conta que via as mulheres e pensava como elas eram sortudas em poderem ser elas mesmas.

A demora para se “assumir”, foi por medo de desapontar as pessoas. Talvez por ser uma figura pública, a dificuldade foi ainda maior. Define bem seus gêneros, tratando o lado masculino como Bruce e o feminino como “ela”. “Bruce vive uma mentira e ela não é uma mentira.” No meio de todo o processo, que se intensificou após a separação de Chris, com quem tem três filhos, surgiram boatos de que seria uma estratégia para divulgar o reality, o que diz ser absurdo. “O que estou fazendo vai trazer algum bem, vai ajudar a mudar o mundo.”

Segundo Jenner, esta foi sua última aparição como Bruce e que não pretende apresentar seu lado feminino para a mídia. E afirma uma das frases que acredito mais representar a questão de gêneros: “Todo mundo merece ser amado por ser quem é.”

TomboyPor acaso, ontem o Netflix me indicou o filme francês Tomboy, que trata a questão do gênero com uma sensibilidade incrível, mas que retrata a confusão que ocorre ainda na infância. A personagem Laure nasceu menina, mas sua personalidade é masculina. Mesmo sem os impulsos sexuais, percebe estar no corpo errado. Seu cabelo é curto, suas roupas são masculinas e, cada vez mais, adquire estereótipos masculinos.

Demora para a sexualidade de Laure ser revelada. Durante boa parte do filme, é tratada como Michael, sua identidade masculina, criada por ela mesma, sem ser algo pensado. Durante o longa, é mostrada a relação do transsexual com o corpo. Como é a descoberta das diferenças e a construção da aceitação, não só por quem está ao seu redor, mas também por si mesmo.

Vale assistir para entender mais sobre esta questão, que ainda é um tabu na sociedade. Muito se fala sobre homossexualidade, e ainda assim se enfrenta preconceito, muitas vezes velado. Vale a reflexão.

Douglas na cozinha: mousse de chocolate branco

IMG_1912Muito que bem! Em semana com feriado no meio, a sexta-feira chega e a gente nem sente, né? Com mais um findi batendo na porta, nada melhor do que pensarmos em umas gordices pra adoçar a vida. Por isso, hoje vim mostrar a receita de mousse de chocolate branco super fácil que eu aprendi e fiz para receber uma amiga aqui em casa esses dias.

Ingredientes:

  • 200 g de chocolate branco (uma barra e um terço, geralmente)
  • 3 ovos
  • 1/2 xícara (chá) de açúcar
  • 1 lata de creme de leite sem soro (ou uma caixinha)

Preparo

Mais uma vez, é daqueles preparos mega fáceis, que a gente adora. Comece separando a gema e a clara dos ovos. Tu vai usar tudo, mas nada junto. Pique o chocolate bem fino e coloque no microondas para derreter. Faça o processo de 30 em 30 segundos, para ele não queimar. Depois, junte com as gemas e misture bem, de preferência com um batedor de arame, que vai ajudar a ficar aerado. Junte o creme de leite sem o soro e misture.

Pegue as três claras e coloque na batedeira. A ideia é deixar elas em neve, num ponto que você tire os batedores e eles fiquem com um pico. Coloque o açúcar e bata até virar um merengue. Feito isso, vem a parte que mais exige atenção.

Você vai juntar o merengue com o creme aos poucos. Pegue 1/3 do merengue e junte. Misture bem devagar, até ficar homogêneo. Faça o mesmo com o restante. Isso vai garantir que ele fique levinho e não desande. Depois é só colocar em uma bacia ou ramequins e levar à geladeira por, pelo menos, 4 horas.

Se quiser dar um charme, é só raspar chocolate por cima da mousse.

10 apostas masculinas do SPFW

E lá se foi mais uma semana de moda de São Paulo. O São Paulo Fashion Week teve algumas baixas para o público masculino, como Osklen, Ellus e 2nd Floor que optaram a mostrar apenas coleções femininas. No entanto, ótimas apresentações focadas nos homens, com a principal sendo João Pimenta, único estilista que mostra apenas roupas para nós. No demais, TNG, Colcci, Cavalera, UMA e Amapô, nos mostraram suas propostas para a primavera/verão 2016.

Vi e revi os desfiles e fiz 10 apostas baseadas no que deu pra perceber em comum entre as coleções. Fiz a lista, que pode não ser certeira, mas aponta para alguns possíveis caminhos que veremos as marcas seguirem nas lojas.

Calça larga 1 Calça larga 2Calças amplas: essa é uma das apostas mais certeiras, porque já aparecem neste inverno. As calças super skinny perdem um pouco de espaço para as mais largas, que são, inclusive mais democráticas e confortáveis. Aparecem tanto na alfaiataria, em uma proposta mais solta e descolada, quase como um look resort, até no jeans, num estilo mais urbano.

Bermuda curta 1 Bermuda curta 2Bermudas curtas: elas já aparecem há algumas temporadas e se firmam um pouco mais a cada ano. A novidade ficou por conta dos shorts super curtos, no estilo corredor. Deve ser aposta das marcas comerciais principalmente tratando de calções de banho. Acho difícil pegar para looks urbanos.

Camiseta larga 1 Camiseta larga 2Camisetas largas: as peças ganham proporções largas, confortáveis e perfeitas para encarar os dias de calor.

Decote Canoa 1 Decote canoa 2Decote canoa: o decote da vez é este, mais aberto. Substitui o V e é uma alternativa para o redondo básico e tradicional. Fica super cool em qualquer look.

Jumpsuit 1 Jumpsuit 2Jumpsuits: mais conhecidos como macacões, eles chegam com tudo no verão. São descolados e trazem muita informação de moda. Ótimos para os baixinhos, pois alongam a silhueta. Aparecem tanto em jeans quanto em sarja, tanto para o dia quanto para a noite.

Androginia 1 Androginia 2Androginia: é aposta tanto para os homens quanto para as mulheres. É essa roupa que pode ser usada tanto pelo homem quanto para a mulher. Algo sem definição de sexo, como uma peça de roupa sempre deveria ser. Vou tratar desse assunto mais aprofundadamente em um dos próximos posts, porque é uma aposta cada vez mais forte da moda.

Casacos longos 2 LongosTops alongados: tanto camisas e camisetas, quanto casacos aparecem em comprimentos longos, quase na altura dos joelhos. Exige atenção, principalmente dos baixinhos, na hora de usar.

Sapatos 1 Sapatos 2Foco nos sapatos: muitos calçados se tornaram destaques dos looks. E isso tende a pegar nas ruas. Com a moda cada vez mais básica depois que o normcore se popularizou, a atenção pode ir tranquilamente para os pés.

Utilitarismo 2 UtilitarismoUtilitarismo: a moda inspirada nos exploradores, principalmente os navais, traz à tona peças práticas, que ajudam a proteger de intempéries, com tecidos que não absorvem a água. Muito conforto e estilo em uma peça só.

Cores 1 Cores 2 Cores 3 Cores 4Cores: além do preto, branco, caramelo e tons de areia, que são clássicos, várias marcas apostaram em tons doces, contrapostos ou complementados, com tons de neon ou cores fortes. O rosa, verde e laranja foram os que mais apareceram. É inegável que verão pede cores.

SPFW S/S 2016 – AMAPÔ

Gosto muito da moda masculina da Amapô. As eestilistas Carolina Gold e Pitty Taliani falam para um cara mais criativo, que não tem medo de ousar e constrói um visual baseado na sua personalidade. Por vezes acho o homem Amapô mais ousado que a mulher, que muitas vezes ganha a neutralidade da calça jeans, produto reconhecido da marca. Aliás, adoro a ideia da dupla de fazer um jeanswear que foge do básico, mostrando que mesmo essas peças permitem ousadia. Adeus, chatice fashion!

Para a temporada de verão 2016 elas se inspiraram em ícones como David Bowie e Barbarella, em looks da ginástica aeróbica e em Miami. A mistura rendeu uma coleção cheia de referências sportwear, inclusive com shorts de corredor e bermudas ciclista, além de camisetas curtas, que deixam a barriga à mostra, como eram usadas nos anos 80 pelos atletas e, até mesmo, no dia a dia.

Os looks ganham muitas transparências, nas quais são costurados triângulos, faixas e, com maior destaque, os raios usados como maquiagem por Bowie. A coleção contou com muitas estampas. Para mim a mais forte foi a paisley, que vem revisitada, em tons de neon. Aliás, estas cores fortes estiveram muito presentes no show, contraponto com a suavidade das cores doces. A cartela de cores foi extensa, como é marca da Amapô.

Conferindo um ar tropical, puxado de Miami, estampas de abacaxis apareceram em calças e tops. As modelagens são, na maioria das vezes, largas, principalmente em calças, que também ganham gancho baixo. As bermudas são curtas e nada tradicionais. Prints de personagens de desenhos animados apareceram em dois looks, numa mistura que conferiu ares nostálgicos e pop às peças.

Talvez a roupa proposta pela Amapô seja complicada de ir às ruas da maneira que foi apresentada na passarela. Mas, se bem usadas, podem formar uma boa coleção comercial, para um homem criativo e ousado. Veja nas fotos e analise com olhos de criatividade, assim como a coleção merece.