Sobre ser feliz e respeitar o próximo

Felicidade e humildadeMinha ideia era postar um vídeo hoje. Mas surgiram alguns imprevistos. Primeiro, na hora que liguei o computador, faltou luz. Depois, quando voltou, precisei fazer umas fotos. E por fim, o computador deu pau. Desisti e tentarei publicar amanhã. Por isso, no post de hoje, eu decidi falar.

2015 começou intensamente especial pra mim. Estou em um equilíbrio pessoal como há muito não vivia. E no profissional, diversas transformações estão acontecendo para o meu bem. Sabe quando falamos em plenitude? É isso o que sinto. Mas minha felicidade não está ai, no trabalho, na grana que vai entrar para minha conta, ou no reconhecimento que terei de clientes. Isso é um desejo grande que acontece por consequência de sermos bons no que fazemos e termos total comprometimento.

O que me deixa feliz é ver como estou encarando minha vida de uma maneira diferente. Há alguns meses comecei a fazer este exercício. Se algo estivesse ruim, pensava em como poderia ser pior ou como muita gente daria tudo o que tem para estar no meu lugar. Muitas vezes a felicidade se esconde por trás do desafio que precisamos encarar, mas temos medo de dar a cara a tapa.

Desde criança ouvimos o pai, a mãe, a professora e todo mundo a nossa volta dizendo para respeitar os mais velhos. Com o tempo, e isso só a experiência traz, aprendemos que o respeito não se restringe a quem já passou mais anos que nós no mundo, mas a todas as pessoas. Somos singulares, cada um tem suas qualidades e seus defeitos, alguns mais acentuados que outros. Lidar com essas diferenças não é tareda fácil, mas a vida nos impulsiona a encarar este desafio.

A vida é um ciclo muito louco, do qual nunca podemos saber o que esperar. As vezes tu encontra aquela pessoa que considera o amor da tua vida. Meses depois a paixão acaba e cada um vai pro seu canto. Ou então, entra naquele emprego onde pensa que vai passar uma eternidade trabalhando, porque ama aquilo que faz. Em pouco tempo passa o “tesão” de operar aquela função e passa a desejar fazer outra coisa. E isso é normal. Já pensou se fosse uma linha constante, onde passássemos o tempo todo fazendo as mesmas coisas? Seria um saco, né?

E o mais legal dessas mudanças, são as novidades. As novas pessoas que as novas fases nos trazem podem ser incríveis. Nos últimos tempos conheci gente tão incrível que quero elas comigo pelo resto da vida. E ai entra novamente o respeito. Se encontro alguém que me ajuda, que aposta em mim, seja como amigo ou profissional, como vou me dar ao direito de desconsiderar tudo o que foi feito a meu favor? Assim como devemos ser eternamente gratos a nossa família por ter nos ajudado a ser quem somos, devemos ser a esses amigos que surgem e nos ajudam a ser mais felizes e completos.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s