Corra do rebanho

Sheeple
Há um tempo li sobre a expressão “sheeple” em um blog. Se trata de um fenômeno de pessoas que, seja por convivência ou falta de personalidade, cortam os cabelos de maneira igual, usam roupas semelhantes, ouvem as mesmas músicas e etc. São pessoas que deixam de lado sua opinião pessoal para seguir aquilo que uma maioria, ou a mídia dita.

E como saber se trata de um sheeple ou não? Respondendo a algumas perguntas pode-se tirar a temperatura. Quando ouve uma informação, você pondera ou apenas aceita? Pesquisa sobre um assunto antes de concluir sobre ele? Duvida saudavelmente, fica curioso e procura saber mais? Ou apenas repete o que lhe é dito? Prefere concordar para não se desentender da maioria? Gosta de ter uma certa aparência para se sentir parte de um grupo? Segue a moda sem nem saber direito se gosta daquilo, ou  você tem um estilo definido? Compra loucamente porque ouviu que um produto é o item do momento?

O termo surgiu da união da palavra “sheep” (ovelhas), com “people” (pessoas). Como as ovelhas andam sempre em rebanho, foi feito o trocadilho. Convenhamos, vivemos em uma sociedade onde o sheeple é uma das coisas que mais vemos. Quantas pessoas têm uma ideia diferente sobre algo, mas a deixa de lado apenas para não contrariar a maioria? Ou então, deixam de lado o estilo pessoal, apenas para seguirem a tendência da vez, que está em todas as revistas, vestida por todas as famosas e ficar na crista da onda? É muito comum, né?

Na vida como um todo, podemos ser anti-sheeple. É simples. Quando recebemos uma informação (afinal, somos bombardeados por elas o tempo todo hoje em dia), é nosso dever se aprofundar no assunto antes de sair por ai comentando que concordamos, para sabermos se temos uma opinião a favor ou contra a da maioria. Claro que o desejo humano é estar incluso na sociedade, ser aceito e bem quisto pelos demais (dei uma pincelada sobre isso, mas falando sobre moda, no post Escolhas). Mas, nem sempre isso é necessário.

Ter opinião pessoal é, sim, importante. Precisamos nos diferenciar do rebanho, seja no jeito de vestir, na opinião, no estilo musical que gosta e em mil outras maneiras. Afinal, se luta tanto pelas diferenças, mas muitas vezes se esquece que elas existem e se tenta criar padrões inimagináveis. Corra do comum e encontre quem realmente você é e não quem os outros querem que seja.

Pense.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s